Serviços

Controle de Pragas e Vetores Urbanos

O QUE É MIP?

O manejo integrado de pragas é uma prática que surgiu a partir da necessidade de se minimizar o uso de pesticidas no controle de pragas em diversas culturas. Com o tempo o MIP passou a ser adotado também nas áreas urbanas para proteger o homem dos efeitos dos inseticidas, pois já era grande o número de acidentes e de casos de intoxicações com inseticidas nas residências.

O MIP trata o controle das pragas sob uma ótica ampla do ambiente levando em consideração o comportamento e o ciclo biológico da praga e sua relação com o ambiente. O MIP preconiza medidas preventivas sob um conjunto de estratégias utilizadas de maneira integrada e muitas vezes concomitante no intuito de tornar este ambiente menos susceptível a ação de determinadas pragas, não precisando para isso fazer uso de grandes quantidades de agentes químicos. O intuito principal deste programa é livrar o homem do contato direto com insetos pragas ou vetores sem agressão ao meio ambiente, a saúde humana e dentro de uma relação custo benefício adequada.

A presença e proliferação de pragas estão ligadas principalmente à presença dos elementos básicos de subsistência: Água, Alimento, Abrigo e Acesso. Dentre estes elementos dois fatores se destacam: condições favoráveis de abrigo e alimentação.

É trabalhando na manipulação dos elementos básicos que está inserida o conceito de MIP que preconiza ações preventivas encarando o controle de pragas sob uma ótica ampla do ambiente. Com isso o manejo integrado de Pragas engloba sete estratégias de controle descritas abaixo:

Controle Ambiental

São ações que visam à modificação do ambiente de maneira que não os torne tão propício à presença de pragas, favorecendo a presença de predadores naturais, bem como o manejo deste visando eliminar condições favoráveis a sua proliferação descontrolada.

Vedação de rachaduras, frestas, fendas e vãos;
Uso de cantoneiras de alumínio em junções de parede revestida de azulejos;
Reparo de descamações de pintura e emboços danificados;
Manejo de condicionantes climáticos, uso de ar condicionado, ventilação, e desumidificação;
Manejo de peças de mobiliário, fechamento de vãos de pés tubulares de mesas e cadeiras, reparo de revestimentos;
Reparo de esquadrias de janelas e portais.

Controle Sanitário

É um dos mais importantes controles, pois a presença de muitos insetos está ligada diretamente à falta de condições sanitárias, higiene e limpeza do ambiente. Visa adotar medidas de limpeza e higiene de modos que torne o ambiente menos propício possível à presença e proliferação de pragas sendo adotadas para isso programas de higiene pessoal e do ambiente e técnicas adequadas de armazenamento de alimentos. Tudo isso para que interferindo no triângulo de sobrevivência dos insetos água-alimento e abrigo, possa através da própria autorregularão populacional que estes seres possuem consigamos reduzir o número de indivíduos pragas existente nos locais.

Outras medidas adotadas neste tipo de controle são:

Retirada de entulho e materiais inservíveis das áreas controladas ou próximas a estas.
Acondicionamento adequado de lixo, principalmente lixo orgânico.
Retirada frequente do lixo das áreas de controle.
Limpeza diária das áreas de manipulação e armazenagem de alimentos.
Ter o sistema de esgoto e caixas de gordura totalmente isolados e canalizados.
Adoção de medidas de house keeping, 5S, HACCP, Boas práticas de Fabricação em áreas de manipulação de alimentos.
Limpezas úmidas totais e diárias dos locais;
Adoção de área de recepção e triagem de mercadoria.
Manipulação, acondicionamento e destinação criteriosa do lixo e quaisquer resíduos;
Estocagem de mercadorias de acordo com normas sanitárias, em estrados afastados do chão e parede para facilitar inspeções e limpeza.
Limpeza minuciosa ao final de cada dia, de materiais e equipamentos.

Controle Físico

Visa adotar medidas impeditivas que distanciem o máximo as pragas junto ao homem. São artifícios adotados para que impeçam as pragas de invadirem depósitos de alimentos, áreas de manipulação, e distribuição de alimentos e até locais onde há a presença de pessoas como os domicílios e locais de trabalho. O controle físico também adota artefatos de captura de pragas como as armadilhas que também são utilizadas em muitos casos no monitoramento das áreas de controle.

Telamento de janelas,
Telamento de ralos,
Cortinas de vento,
Fechamento de vãos
Eliminar falhas de vedação em tubulações.
Adotar ralos com vedação e sifonados.
Utilizar lâmpadas de vapor de sódio nas áreas externas ao invés de lâmpadas fluorescentes.
Utilizar armadilhas de captura, principalmente em áreas internas de manipulação de alimentos. Ex. Armadilhas luminosas colantes ou eletrocutadoras, ratoeiras, armadilhas adesivas, adesivas com feromônio e etc.

Controle Cultural

É um programa que utiliza ações educativas no intuito de conscientizar e induzir mudanças de hábito e no comportamento individual e coletivo no que se refere à prevenção contra as pragas. São feitas palestras, utilizam-se informativos, cartazes e veículos de comunicação para levar informações importantes com relação ao controle de pragas e o papel de cada um para o sucesso do controle de praga e na preservação da sua saúde e do meio ambiente.

Controle Biológico

É um tipo de manejo onde visa atuar utilizando predadores naturais no controle populacional das pragas alvo. São empregadas também bactérias patogênicas as pragas, onde muitos destes agem nas fases de desenvolvimento (larval) de diversos insetos impedindo assim que os mesmo cheguem à fase adulta. É um controle considerado benéfico ao meio ambiente, desde que seja adequadamente empregado. São utilizados desde determinados tipos de peixes que se alimentam de larvas de mosquitos á bactérias de efeito deletério as larvas do mesmo inseto.

Controle químico

Deve ser sempre o último programa a ser adotado no manejo, pois se espera que com as medidas preventivas adotadas, ou ao decorrer destas, se tenha diminuído consideravelmente a população de indivíduos da praga a ser combatida, necessitando com isso de uma quantidade mínima de agentes químicos a ser lançado naquele ambiente. Todo controle químico deve ser precedido de inspeção do local, avaliação do meio e suas peculiaridades, a rotina humana no local, a praga alvo, as dimensões e características físicas antes de ser executado.

Monitoramento

O monitoramento é considerado por muitos o ponto chave de todo MIP. Pois é através dele é que serão definidas as melhores ações preventivas, corretivas a serem adotadas no meio em que se deseja implementar o controle. É através também do monitoramento que são realizadas as alterações e adequações da estratégia inicialmente adotada.